Atenção
Este site utiliza cookies. Ao usar este site está a consentir a utilização. Saber mais
 
  PT | EN
Luanda ativa sistema de alerta para cólera

A província de Luanda ativou o sistema provincial de alerta para o eventual surgimento de casos de cólera, revelaram hoje as autoridades sanitárias da capital angolana.

"Luanda não tem nenhum caso confirmado de cólera, estamos a trabalhar do ponto de vista de vigilância epidemiológica no acompanhamento e rastreio de todos os casos de diarreia, tivemos quatro casos suspeitos", disse, em declarações à agência Lusa, a chefe do departamento provincial de Saúde Pública, Regina António.

A responsável acrescentou que esses casos suspeitos, após análise laboratorial, resultaram negativos. Contudo, foram reativadas as unidades de tratamento de cólera e neste momento decorre a preparação da logística, um cenário que decorre de surtos da doença detetados noutros pontos do país.

A mobilização em Luanda, província com quase sete milhões de habitantes, envolve "medicamentos e equipamentos necessários para acudir a eventuais casos" de cólera, mas também se trabalha "na mobilização com a população para as medidas de prevenção", acrescentou Regina António.

Um surto de cólera no município do Soyo, província angolana do Zaire, afetou desde dezembro 119 pessoas, seis das quais acabaram por morrer, levando as autoridades de saúde a mobilizar médicos, técnicos de laboratórios e medicamentos para travar a sua propagação.

Um outro surto da doença foi detetado a sul, no município do Cubal, província de Benguela, nos últimos dias.

De acordo com Regina António diante destes surtos, há necessidade de Luanda preparar "as equipas de emergência" e as "infraestruturas do ponto de vista de centros de tratamento de cólera", além de "reativar as comissões anteriormente existentes" para se precaver para eventuais casos.

Angola já viveu no último ano surtos de febre-amarela e malária.

A propagação da cólera está associada à deficiência no tratamento de esgotos e da água para consumo humano.